sábado, 21 de fevereiro de 2009

Espelho de água







4 comentários:

  1. Carvalhinho, Vasco:
    Algures na mata de Barão.
    Um cú de Judas qualquer, que ainda pouca gente conhece.
    É só arvoredo e a ribeira.
    Ruídos de água e pássaros.
    No chão, rastos das brincadeiras dos javalis que, felizmente, só têm o hábito de sair à noite.
    Ouvi-os!

    ResponderEliminar
  2. Um reflexo bem apanhado na água... foi preciso estar ao nível certo ;)

    ResponderEliminar